j

Leia Aqui outros artigos

Perdoa as nossas dívidas

O Acumulo de todas as coisas

Além das manifestações

A Bifurcação Entre a Resistência e a Desistência

Chacina na Síria

A corrupção do Poder

Dissuasão e Perssuasão

Justiça,

Para que lado pende esta balança?

Manifestações:

As nossas e a da Cruz

Nós e a TV

O Papa veio O Papa já foi...

em que isto nos Afetou?

A Involução da Teoria

Colaboradores

Desespero Brasil

A Sociedade de Gosto

A liberdade e a política da Avestruz

Violência, A Cicatriz que Marca as Gerações do Fim

Ameaça Terrorista

Notícias de outros sites

A mulher sábia edifica a revolução

Quero estar sóbria e acordada, não pretendo sonhar...

 

 

 

 

 

Portal Revelação

Fé Além da Cruz

 


Por mais que eu leia sobre os milagres efetuados por Cristo e as mais diversas manifestações de fé de alguns que foram agraciados com aqueles milagres, mais me chama atenção o extremo ato de salvação na Cruz. Falo do ladrão que pede que o Senhor se lembre dele, veja o texto: Lucas 23: 39- 43. “Então um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós.

40 Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação?

41 E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez.

42 Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.

“43 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”.
Quando se trata dos milagres mais expressivos de Cristo, lembramos dos leprosos que foram limpos, da mulher cananeia de origem siro fenícia, da filha de Jairo e ainda da mulher do fluxo inesgotável de sangue, etc. entretanto todos esses encontraram com o Mestre no auge do Seu Ministério. Vestido em sua túnica inconsútil, seguido por uma multidão que O apertava dia e noite sem trégua. Ouviam acerca das maravilhas por Ele efetuadas e acorriam de todos os lugares dentro e fora da Judeia. Mortos foram ressuscitados, cegos enxergavam, alimentos foram multiplicados e pescarias miraculosas faziam com que a fama do Nazareno se espalhasse além das fronteiras. Magnifico! O filho do homem, O Profeta esperado, O Descendente de Davi era admirado pelo povo, temido pelos Judeus, respeitado pelas autoridades romanas e uma enorme surpresa para os Samaritanos.
Ele ensinava, profetizava, pregava a Salvação, batizava e dizia ser nada mais, nada menos que O Filho de Deus!
Muito Bem, voltemos agora à cruz e uma cena inusitada esta acontecendo ali. Jesus fora crucificado entre dois ladrões e mesmo sofrendo dor insuportável, um deles encontra forças para maldizer o Senhor e afronta-lo. Abaixo da Cruz, os soldados rasgam as vestes de Cristo e sorteiam entre si seus parcos pertences; Judeus escarneciam dele e diziam: Não é O Cristo? Salva-te a ti mesmo e mostras tua divindade para que creiamos. Então de forma inesperada o segundo ladrão repreende o ladrão que ocupava a terceira cruz e voltando-se para Jesus Cristo disse: Senhor lembra-te de mim quando estiverdes em Teu Reino ao que Jesus responde: em verdade te digo que ainda hoje estarás comigo no paraíso.
O primeiro ladrão olhou para Cristo e viu o obvio; enxergou um homem destruído por pancadas e torturas. Sofrendo mais que eles, afogando-se no próprio sangue. Mas o outro olhou para Ele e viu Deus. Viu além da cruz, além dos olhos ensanguentados, além da figura bizarra ali ao seu lado, além das dores e dos gemidos o ladrão viu O Deus Poderoso com poderes que transcendiam aquele madeiro e que podia salva-lo; Não da cruz, pois ele mesmo admitira que fosse merecedor do flagelo a ele imposto. Aquele homem extrapolou o físico, desafiou a logica e pediu para ser participe, membro do Reino de Deus. Conseguiu! Sua fé além da cruz foi recompensada e aquele homem outrora um salteador antecedeu a todos nos no Reino do Pai. Profetas, apóstolos, mestres, operadores de milagres, missionários e todos os mártires e testemunhas fieis que morreram pela causa do Evangelho. Tudo aconteceu porque aquele homem creu além da cruz de Cristo.
Que exemplo arrancamos desse incrível momento! Muitas vezes em nossa caminhada topamos com situações que exigem de nós um pouco mais que breves orações, jejuns ou doutrina impecável. Se não conseguirmos ir além do calvário, se a nossa pregação finda na cruz então estamos fadados ao fracasso. A depredação do corpo de Cristo iniciou para nos um novo pacto, uma nova aliança que burla o imaginável e quebra qualquer paradigma. Nossa verdadeira vida no Evangelho depende de um olhar de fé para termos condição de desfrutarmos do Reino dos Céus.

Então creiamos além da Cruz!

LiveZilla Live Help
LiveZilla Live Help
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog