Nós e a TV

 

Por mais que tentemos minorar os efeitos nocivos causados pela influência da mídia na sociedade e em nosso viver de uma forma geral, não conseguimos.
Primeiro porque raros são os lares imunes a esta sutil presença; Segundo porque os resultados são visíveis e palpáveis.
A sensação compara-se com a que alguém sente quando convida uma pessoa para uma visita e percebe que o visitante pretende não só morar com ele como também interferir de perto em todas as decisões, doravante tomadas naquela casa. Resumindo: de anfitrião passou a refém em um abrir e fechar de olhos.
O que escrevo agora pode parecer forçado mas o tempo vai mostrar que tanto eu quanto muitos outros que comungam do mesma opinião, temos razão.
Gostaria de propor um teste, principalmente para quem tem mais de quarenta anos,como eu. Procure lembrar-se, há vinte anos atrás, qual era sua opinião sobre ficar espinhando a
vida alheia, observando um casal ter relações sexuais e narrar tudo que viu e ouviu para outros;
Agora vem a parte melhor, o que você acha de fazer tudo o isto em companhia de seusfamiliares, incluindo filhos menores de idade? A resposta é, respectivamente, bisbilhotice,voyeurismo, canalhice, falta de ética e indução de menores ao crime sexual, com seriíssimosagravantes. Todos estes delitos são passiveis de leve reprimenda e até cadeia, mesmonos dias atuais. Entretanto, tudo o que acima foi listado chama-se hoje de reality show exibidos,com altíssimo nível de audiência, pela televisão, propalados pela mídia em geral.
Então caracteriza-se a grande farsa. A mídia tudo almeja, tudo pode, tudo obtém, mesmo a quebra de conceitos éticos e morais. É um poder absoluto, intra uterino pois gera,dá a luz ,cria e impõe novos conceitos a uma sociedade extremamente refém de suas falsas imagens.