Perdoa as nossas dívidas

 

Penso que as denominações e movimentos religiosos têm uma dívida com a verdade que precisa ser paga urgentemente. E, repito, nenhum movimento religioso de confissão evangélico/cristã está isento desta dívida.
Os pentecostais precisam retratar-se quanto a forte alusão (anti bíblica) ao fogo; os tradicionais precisam retratar- se quanto à doutrina de exclusão dos dons espirituais da historia da igreja atual; os neo pentecostais devem retratar-se quanto a obscena doutrina da prosperidade; os católicos quanto a inserção de dogmas e fabulas nas Sagradas Escrituras.
Todos somos devedores a verdade. E como poderemos pagar esta divida? Como desfazer heresias históricas que tanto têm separado e desnorteado o povo de Deus?
No evangelho de Lucas capitulo 19, vemos um exemplo que talvez possa nos fazer vislumbrar uma luz ao fim do túnel.
No texto em questão conhecemos um homem cujo nome era Zaqueu que, sistematicamente, havia roubado do seu próprio povo por anos a fio. Entretanto ao encontrar-se com Jesus Cristo e ouvir dele palavras inefáveis que lhe tocaram o coração, este usurpador (sendo acusado pelo seu próprio povo) retratou-se de pronto. Primeiro Zaqueu admitiu que as acusações contra ele fossem verdadeiras, depois mostrou arrependimento e prometeu ressarcir a todos que foram por ele prejudicados.
Este ai a solução: Zaqueu admitiu o erro, confessou e ressarciu. Simples assim.
As denominações, principalmente as mais expressivas, devem rever suas doutrinas procurar embasa-las nas Escrituras e então retratar-se diante de todos. Fazer Mea culpa; desculpar-se pelo roubo à Palavra e pelos desvios doutrinários que deram origem a essa geração perversa e sem arrependimento que povoam os templos religiosos.
Crentes egoístas, desumanos, sensuais e, portanto não possuem O Espirito. Uma geração desprovida de amor a Deus e ao próximo; que visa riquezas ou que transformam a Igreja em um clube social sem poder pra expulsar nem a mosca azul que lhes rodeia a cabeça. Sem esquecer é claro dos feiticeiros gospel que destroem vidas com falsas profecias e manifestações espúrias ao Evangelho.
Barbaridade, violência, imoralidade, infidelidade nos contratos, porfias, megalomania, proselitismo, mentiras, engano, arrogância, síndrome de lucífer, fraude; e todo tipo de delito além desses que se possa supor.
Sei que o caminho para a remissão é difícil e requer do caminhante o desejo genuíno de mudanças. Precisamos admitir nossos erros, clamar por perdão de Deus por todas as distorções que patrocinamos em sua Palavra em nome de um Evangelho fraco e com a ausência da Cruz de Cristo.
Sei que sou insignificante diante de poderes que se agigantam mais e mais, dia após dia e com a aquiescência do povo, mas eu tenho fé. Eu creio no Deus verdadeiro que odeia a iniquidade e aborrece o pecado. Ele há de agir antes do soar da trombeta como referência para encontrarmos com nosso Rei Jesus cristo nos ares.
E que O Pai, apiede-se de nós e que Seu Santo Espirito nos conduza ao arrependimento sem reservas diante DELE e do povo que temos enganado. Amem!